Fale Conosco  
 
 
 
Quinta-Feira, 21 de junho de 2018
24-05-2018
Duas crianças morrem de leishmaniose em Parauapebas, sudeste do Pará

Secretaria de Saúde do município revela outros 36 casos confirmados em humanos e mais de 300 em cães

Texto: Portal G1

Um bebe de 11 meses e uma criança de dois anos morreram de leishmaniose em Parauapebas, sudeste paraense. De acordo com a Secretária de Saúde do município, outros 36 casos da doença em humanos e mais 300 em cães foram confirmados pelo órgão.

Giovana tem 7 anos e foi diagnosticada com a doença há um mês. A menina teve febra alta, um dos sintomas da leishmaniose, que também pode ser percebida pela perda de peso, fraqueza, redução da força muscular, além do aumento do fígado e baço.

“Acabou a medicação ontem, só que é necessário o acompanhamento durante um ano. Nesse ano, ela vai algumas vezes ao médico para ser como ela tá, se está apresentando febre novamente e ver como está o estado de saúde dela”, disse o pai da menina, Anderson dos Santos.

Giovana foi diagnosticada com o tipo “visceral” da doença que, segundo a Secretaria de Saúde, é o mais grave. “Mais de 300 cães até o momento foram confirmados. Os animais, dando positivo o teste, somos respaldados por uma portaria do Ministério da Saúde e Conselho Federal de Medicina Veterinária que eles têm que ser sacrificados”, disse Michele Ferreira, representante da secretaria.

Existe, no entanto, tratamento para a doença nos animais, porém, Michele adianta que custa caro. “A pessoa tem a opção de fazer tratamento, mas é bem caro. Um animal de 10 quilos, em media, custa por mês, custa 1200 reais”, concluiu.

Redenção

Uma epidemia de leishmaniose, também conhecida como calazar, já contaminou centenas de cachorros em Redenção, no sul do Pará. Somente nos primeiros meses de 2018, quase 270 animais tiveram que ser sacrificados porque a doença pode ser transmitida para humanos.

 
 
             

Rua Apeninos, 1.088 - Paraíso - São Paulo
Cep: 04104-021 - SP   [Mapa]

Fone: (11) 5908 4799 - Fax: (11) 5084 4907
Expediente: Segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 16h

   
 
Copyright 2006-2009 © CRMVSP. Todos os direitos reservados.