Tag Cloud

 
   
 
 
 
Lamisil online Buy lasixs without prescriptin express delivery When will viagra lower prices Is 10mg paxil daily a strong dosage Order zanaflex overnight
Domingo, 24 de março de 2019
20-12-2018
Viajar com o pet no vero exige cuidados e visita prvia ao mdico-veterinrio

Antes de preparar as malas do seu animal de estimao, preciso se atentar aos principais cuidados sanitrios e orientaes para garantir uma viagem segura e saudvel

Frias de fim de ano e o calor do vero so a combinao perfeita para viagens familiares. Um bom planejamento primordial para que o passeio seja tranquilo e proveitoso para todos. O que muitos tutores no sabem que o pet precisa ser inserido no planejamento que precede a partida para as frias e o primeiro passo comea com uma visita ao mdico-veterinrio de confiana.

A avaliao e a orientao de um profissional essencial para garantir o bem-estar do animal durante os dias de descanso com a famlia. O mdico-veterinrio vai conferir se as vacinas esto em dia e pedir os exames necessrios para que o pet siga viagem da forma mais saudvel possvel, explica o mdico-veterinrio Thomas Faria Marzano, presidente da Comisso Tcnica de Clnicos de Pequenos Animais do Conselho Regional de Medicina Veterinria do Estado de So Paulo (CRMV-SP).

O destino, o meio de transporte e a data da viagem so informaes que precisam ser apresentadas ao mdico-veterinrio para que ele indique os cuidados especficos para cada tipo de passeio. Tambm muito importante que o tutor confira as regras de transporte de animais das companhias areas e rodovirias, e as Leis de Trnsito, quando for o caso.

Dependendo do destino, lembre-se de conversar com o mdico-veterinrio sobre o Atestado de Sade e o Passaporte para Trnsito de Ces e Gatos. Recentemente, o CRMV-SP lanou, em parceria com o Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento, e o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecurios a edio atualizada do Guia para Emisso de Atestado de Sade de Pequenos Animais e a primeira edio do Guia para Utilizao de Passaporte para Trnsito de Ces e Gatos com algumas orientaes.

Confira a seguir as dicas do CRMV-SP do que deve ser levado em considerao antes da viagem e converse com o seu mdico-veterinrio:

1. Vacinao: preciso garantir que todas estejam em dia. Ateno especial vacinas como V8, Antirrbica, contra Gripe e contra Girdia/Giardase. Algumas companhias areas exigem que a vacina Antirrbica seja aplicada com no mnimo 30 dias de antecedncia a data do embarque.

2. Coleira repelente e antiparasitrios: Marzano categrico: Quando o assunto Leishmaniose, a coleira repelente indispensvel. A doena mais comum no vero, pois as altas temperaturas so ideais para a proliferao do vetor da Leishmaniose, o mosquito Palha. As altas temperaturas tambm geram aumento na proliferao de parasitas como pulgas e carrapatos, por isso, necessrio escolher tambm qual antiparasitrio o ideal para o seu pet.

3. Vermifugao: uma dvida recorrente se a vermifugao necessria antes de uma viagem. O ideal realizar um exame parasitolgico das fezes. Assim, vamos saber se existe alguma verminose. Se algo for detectado, iremos iniciar o tratamento com as medicaes corretas, explica o presidente da Comisso Tcnica de Clnicos de Pequenos Animais do CRMV-SP.

4. Verme do corao: est aqui outro vilo para a sade dos pets no vero. A Dirofilariose, conhecida como Doena do Verme do Corao, comum nos perodos mais quentes tambm por conta do cenrio ideal proliferao de carrapatos e do mosquito vetor. O ideal prevenir a picada do mosquito vetor e fazer a desparasitao com o mdico-veterinrio. Os primeiros sinais da doena so tosse e cansao fcil, orienta o profissional.

Sol e calor: saiba como proteger seu animal

Sombra e gua fresca uma tima forma de definir o que se busca nas frias. No vero, tutores precisam ser vigilantes quanto aos problemas de sade causados pelo excesso de calor.

De um modo geral, os animais so mais suscetveis as altas temperaturas que os humanos. Por isso, a mdica-veterinria Dra. Carolina Filippos, membro da Comisso Tcnica de Clnicos de Pequenos Animais do CRMV-SP, d dicas de como garantir o bem-estar dos pets. Devemos evitar atividades fsicas nas horas mais quentes do dia, entre 10 e 16 horas, e oferecer sempre gua fresca e limpa, assim como dispor de sombra para proteo contra os raios solares, explica.

Esses so cuidados bsicos, importantes a todas as raas, entretanto, algumas exigem mais ateno, sendo inclusive fator determinante na hora de decidir se ou no vivel levar o pet na viagem. Em geral, os animais das raas braquiceflicas (de focinho achatado) so os menos resistentes ao calor e podem apresentar srios problemas de sade, inclusive com ocorrncias de crises que podem levar o animal at ao bito, indica Carolina.

Exemplos de raas braquiceflicas so os Buldogues Francs e Ingls, Pug, Shih Tzu e Boxer. E se a ideia proteo e bem-estar, os tutores devem lembrar que no so s os humanos que precisam de protetor solar. Ces com pelagem e pele branca podem sofrer queimaduras. preciso passar protetor nas pontas de orelhas e focinho, principalmente. Existem protetores especficos em farmcias de manipulao. Basta pedir a indicao do seu mdico-veterinrio de confiana, explica Thomas Marzano.

Hora do mergulho

Quando em locais desconhecidos, a superviso do animal vital. Verminoses intestinais, intoxicao alimentar e ingesto de corpos estranhos so alguns problemas recorrentes por falta de ateno do tutor.

Nas cidades litorneas de So Paulo proibida em lei a presena de animais nas faixas de areia das praias. Respeite as leis locais e mantenha o passeio com o pet no calado e, consequentemente, longe do mar.

Nas piscinas, a superviso primordial. Thomas Marzano aponta um cuidado importante: Sempre que levar o animal para a piscina, identifique se h um local pelo qual ele saia facilmente da gua, pois pode haver risco de afogamento.

A ateno no para por a. Marzano explica que o contato com a gua pode gerar alguns problemas de sade ao animal. Dermatites e otites so muitos comuns durante esses passeios. Alguns animais podem ter reaes alrgicas ao cloro. sempre fundamental dar banho com gua sem cloro depois da piscina e secar bem o animal, explica.

Deve-se tambm evitar a entrada de gua nas orelhas do animal. A mdica-veterinria Carolina Filippos informa que existem formas seguras de faz-lo. Pode-se utilizar algodo hidrfobo ou parafinado. Conte ao mdico-veterinrio sobre os planos de levar o seu pet para a piscina e s saia da consulta com as orientaes de como usar o algodo nesses casos, orienta.

 
 
             

Rua Vergueiro, 1753/1759 - 4° e 5° andares -
Vila Mariana - São Paulo
Cep: 04101-000 - SP   [Mapa]

Fone: (11) 5908 4799 - Fax: (11) 5084 4907
Expediente: Segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 16h

   
 
Copyright 2006-2009 CRMVSP. Todos os direitos reservados.