Quinta-Feira, 9 de julho de 2020
30-04-2020
CUIDANDO DE QUEM CUIDA - Planejamento e inovação são pontos-chave para os negócios em tempos de Covid-19

Especialistas acreditam que as empresas precisam se reinventar e buscar medidas criativas para gerar receita

Texto: Coordenadoria de Comunicação e Eventos do CRMV-SP

Além da preocupação com a saúde, o novo Coronavírus (Covid-19) trouxe também um momento de incerteza para os negócios. Dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostram que 89% das 15 milhões de pequenas empresas brasileiras, as quais correspondem a 30% do Produto Interno Bruto Nacional (PIB), já observam uma queda no faturamento.

Pesquisa de mercado realizada pela Associação Brasileira dos Hospitais Veterinários (ABHV) durante o início da pandemia, aponta que 34% dos estabelecimentos médico-veterinários sentiram uma redução na receita de até 40%. Para não fecharem as portas, os empreendedores devem buscar alternativas para manter a saúde de suas empresas e se planejar para o momento da retomada econômica.

De acordo com José Donizete Valentina, contador e presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC-SP), uma boa gestão financeira pode ser a solução para que os empreendimentos resistam ao momento de instabilidade econômica causada pelos impactos da Covid-19. Ao organizar a movimentação de receitas e despesas, torna-se mais fácil direcionar os recursos ao que realmente traz resultados. “Organize os itens de extrema necessidade e que não podem ser preteridos. Em seguida, converse com os fornecedores e parceiros e renegocie as dívidas que podem ser postergadas. Evite gastos excessivos e desnecessários neste momento”, orienta.

Para reduzir o prejuízo às empresas, o governo adiou ou suspendeu diversos pagamentos de obrigações como taxas, impostos e tributos durante este período. Os agricultores e pecuaristas poderão pedir o adiamento de parcelas do crédito rural. As microempresas e os microempreendedores individuais (MEI) também foram autorizadas a adiar a parte federal do Simples Nacional, cujos pagamentos de abril, maio e junho passarão para outubro, novembro e dezembro. “O empreendedor deve estar muito próximo e alinhado ao seu contador. É ele quem poderá auxiliar da melhor forma sobre as questões financeiras da empresa”, orienta o presidente do CRC-SP.

O vencimento das anuidades do exercício 2020 do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), tanto para pessoas físicas, quanto para as jurídicas, também foram prorrogadas para 31 de agosto, com possibilidade de pagamento à vista ou parcelado. Valentina alerta que durante o período de isolamento social, observa-se um aumento de empresas oferecendo produtos e serviços a preços reduzidos e com “vantagens” de pagamentos parcelados, com o primeiro vencimento para até 120 dias. “Este falso atrativo pode levar a um nível de endividamento futuro que causará um desequilíbrio financeiro perigoso”, aponta o presidente do CRC-SP, reforçando que o efeito da pandemia para a saúde dos negócios terá seu auge daqui a seis meses.

Para preservar o fluxo de caixa, as empresas precisam se reinventar e buscar medidas criativas para gerar receita, mesmo durante o período de isolamento social. “Os negócios que são baseados em uma única fonte de renda, seja produto ou serviço, tem mais chances de quebrar durante as crises. Um hospital veterinário que tenha uma loja acoplada, com venda de medicamentos ou outros produtos para pets, poderá suprir a queda de um serviço por outro”, afirma Marco Antonio Gioso, professor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ-USP) e consultor em marketing, gestão e empreendedorismo.

Jane Albinati Malaguti, consultora do Sebrae-SP, diz que o momento é de planejamento e foco. Segundo ela, o empreendedor deverá refletir se o seu negócio continuará sendo viável pós-pandemia e quais os movimentos que precisam ser feitos para gerar mudanças significativas no futuro. “Avalie possibilidades de atualizar os estoques e de implementar linhas de produtos e serviços que protejam ainda mais os clientes”, indica.

A ocasião também é propensa para estreitar o relacionamento com os clientes, em especial aqueles que residem próximo ao negócio. “Ligue, ofereça os serviços e informe sobre os horários de atendimento. Faça promoções dos produtos que estejam no estoque há muito tempo, amplie as formas de pagamento e busque parcerias com serviços de entrega à domicílio”, ensina a consultora do Sebrae.

As mídias sociais digitais devem ser utilizadas como canal de comunicação com o cliente e vendas on-line. “Muitos empresários ainda são relutantes neste aspecto, mas este é um caminho sem volta. Informe-se e faça cursos sobre marketing place, e-commerce e marketing digital e invista nestas ferramentas. Quando a crise passar, considere contratar um profissional especializado nesta área”, orienta Jane.

A empatia e o bom relacionamento com a equipe é algo que deve ser tratado como essencial na relação entre empresas e colaboradores. “Os funcionários estão apreensivos e preocupados com seus empregos, por isso, haja com cautela e generosidade. Não é hora de cobrar desempenho e performance. O momento é de acolhimento”, ensina Marco Antonio Gioso.

Opções de financiamento

Atualmente, há uma série de programas de financiamento e créditos emergenciais sendo oferecidos a pequenos, médios e grandes empresários, em instituições públicas e privadas. Veja no site do Sebrae uma coletânea completa com essas informações: https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Artigos/Artigos%20Home/20200403_Linhas-de%20Credito-IFs_V02.pdf.

Marco Antonio Gioso orienta o empreendedor a buscar linhas de créditos com juros mensais mais baixos e que não ultrapassem 5% ao ano, geralmente as oferecidas pelo governo. No entanto, recomenda que as pequenas empresas não recorram ao crédito bancário para pagar os gastos do dia a dia, já que a rentabilidade do negócio pós-crise pode não ser suficiente para honrar as dívidas.

O apoio de familiares que não tenham sofrido tanto com a crise pode ser uma boa alternativa. “É um caminho positivo, uma vez que não há taxa de juros a serem pagas”, afirma José Donizete Valentina, do CRC-SP.

Para auxiliar médicos-veterinários e zootecnistas neste momento delicado para diversos mercados, estão sendo oferecidas linhas de crédito especiais para estes profissionais, destinadas a atender aos setores produtivos, industrial, comercial e de serviços em situação de emergência devido aos impactos gerados pela Covid-19.

A conquista é fruto do trabalho do Sistema CFMV/CRMVs, que formalizou pedido junto ao Fundos Constitucionais de Financiamento do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste, instituída pela Resolução nº 4.798/2020, do Banco Central do Brasil.

O crédito abrange investimento fixo ou misto (até R$ 200 mil reais) e capital de giro isolado (até R$ 100 mil reais), incluindo todas as despesas de custeio, manutenção e formação de estoques, encargos de salários e contribuições, com taxas efetivas de juros de 2,5% ao ano. “As linhas de crédito do governo podem ser positivas para suprir demandas pontuais, como a compra de equipamentos ou reformas. Esta é uma opção mais barata em relação ao cheque especial e ao cartão de crédito, já que possuem juros mais altos”, afirma Gioso. O prazo para quitação da dívida é de doze anos, com carência para início do pagamento até 31 de dezembro de 2020.

Serviços

Para quem busca orientação, o Sebrae-SP está funcionando 100% remoto e digital, com novas ferramentas e capacitações a distância. É possível falar com um consultor gratuitamente pelo telefone 0800 570 0800 ou buscar informações no portal sebraesp.com.br.

Para quem quer aproveitar o período para fazer cursos on-line, há diversas opções gratuitas disponíveis, como fluxo de caixa, atendimento ao cliente, plano de negócios, marketing digital, entre outros. Acesse: https://solucoes.sebraesp.com.br/?codUf=26.

O Sebrae-SP também realiza transmissões ao vivo diariamente às 17h com seus consultores via Youtube e Facebook para tirar as dúvidas dos empreendedores de diferentes segmentos, entre eles crédito e renegociação de contratos.

O médico-veterinário e professor da FMVZ-USP, Marco Antonio Gioso, lançou um trabalho de mentoria via WhatsApp destinado a empresários que buscam interagir com outros profissionais para falar sobre negócios, capacitação de colaboradores e comportamento em tempos de pandemia de Covid-19. Para participar, entre em contato com o consultor pelo telefone (11) 9.8926-5555.

LEIA TAMBÉM

CUIDANDO DE QUEM CUIDA: Médico-veterinário deve cuidar de sua saúde mental para não adoecer em meio à pandemia

CUIDANDO DE QUEM CUIDA - Recomendações garantem segurança durante pandemia do coronavírus

 
 
             

Rua Vergueiro, 1753/1759 - 4° e 5° andares -
Vila Mariana - São Paulo
Cep: 04101-000 - SP   [Mapa]

Fone: (11) 5908 4799 - Fax: (11) 5084 4907
Expediente: Segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 16h

   
 
Copyright 2006-2009 © CRMVSP. Todos os direitos reservados.