Sexta-Feira, 5 de março de 2021
28-01-2021
Saiba como evitar que os pets sejam atacados por animais peçonhentos

Casos de picadas de serpente e aranha são comuns em cães e gatos e devem ser tratados por um médico-veterinário

Com a chegada do verão, o número de acidentes com animais peçonhentos sobe e os pets estão entre as vítimas dos ataques de cobras, aranhas e escorpiões. Os fatores que contribuem para aumentar o aparecimento destes animais nesta estação do ano estão relacionados ao clima quente e úmido, propício para a reprodução.

Segundo a médica-veterinária Elma Pereira dos Santos Polegato, presidente da Comissão Técnica de Saúde Ambiental do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CTSA/CRMV-SP), é importante monitorar os pets e evitar que se aproximem de locais próximos a rios, matas, lixões, terrenos abandonados e construções.

“Animais peçonhentos costumam encontrar abrigo e alimentos mais facilmente nesses locais. Por isso, é importante manter a higiene e limpeza de residências, quintais e jardins, evitando a presença destes animais no entorno das habitações humanas”, diz.

A médica-veterinária Hélia Maria Piedade, integrante da Comissão Técnica de Animais Selvagens do CRMV-SP, reforça que “resíduos orgânicos atraem baratas e ratos, presas preferidas de muitas espécies de animais peçonhentos, e que a presença de entulho aumenta o risco, pois serve de abrigo para essa fauna sinantrópica”.

Como os tutores devem agir em caso de picadas?

A curiosidade do pet pode levá-lo a se aproximar de um animal peçonhento, aumentando os riscos de levar uma picada. Hélia Maria orienta que, em caso de suspeita ou constatação de um acidente, principalmente quando há sinais clínicos - inchaço, dor, sangramento e alteração de comportamento - deve-se procurar atendimento médico-veterinário imediatamente.

De acordo com Elma Polegato, o tutor não deve, em hipótese alguma, tentar perfurar, cortar, espremer ou fazer torniquete para remover o veneno, pois são ações que podem causar mais prejuízo do que beneficiar a saúde do animal picado.

“Deve-se olhar atentamente o ambiente onde o pet esteve para tentar verificar qual é o animal peçonhento envolvido no acidente. O ideal é passar o maior número de informações possível sobre as características desse animal para o médico-veterinário. É ainda melhor se o tutor conseguir tirar uma fotografia”, explica a presidente da CTSA/CRMV-SP.

Acidentes mais comuns

Os animais peçonhentos com os quais mais ocorrem acidentes com pets, de acordo com a médica-veterinária Elma Polegato, são: escorpiões (o preto e o amarelo); serpentes (coral, jararaca, cascavel, surucucu); abelhas (africana, européia, africanizada); e aranhas (armadeira, caranguejeira, aranha marrom, tarântula).

Segundo Hélia Maria, “os acidentes com cobras costumam ocorrer, com maior frequência, envolvendo os cães, pois eles tendem a expressar comportamento de caça ou de proteção no seu território. Já os acidentes com aranhas e escorpiões costumam acontecer de forma acidental”.

Fique atento aos sintomas

O tutor deve estar atento a qualquer perfuração ou corte na pele do pet, assim como inchaço, sensibilidade dolorosa local e sangramento. Os membros, o abdômen e a face são os locais mais afetados, afirma Elma Polegato.

“Outros sintomas que podem ocorrer são sangramento no subcutâneo - gengivas, narinas ou pela urina - e vômito. Além de fraqueza, depressão, distrição respiratória, aumento na frequência cardíaca, edema pulmonar e diminuição da pressão arterial do animal afetado”, acrescenta.

Hélia Maria diz que “acidentes com cobras tendem a apresentar lesões na pele originadas pela inoculação do veneno, com inchaço local, que se expande para áreas adjacentes, provocando muita dor e podendo ocasionar diarreia e vômito, sangramentos na lesão ou via nasal”.

As médicas-veterinárias também ressaltam a importância do acompanhamento do animal por um tempo após o tratamento e remissão dos sinais clínicos apresentados na fase aguda, podendo ser indicada a realização de exames para averiguar as funções dos órgãos vitais.

------------------------------------------------------------------------------

Principais cuidados que se deve ter para evitar acidentes com animais peçonhentos.

● Manter a higiene da casa, incluindo quintais e jardins;

● Não acumular entulhos e materiais de construção;

● Limpar regularmente móveis, cortinas, quadros, cantos de parede;

● Vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés;

● Utilizar telas, vedantes ou sacos de areia em portas, janelas e ralos;

● Manter limpos os locais próximos das casas, jardins, quintais, paióis e celeiros;

● Evitar plantas tipo trepadeiras e bananeiras junto às casas e manter a grama sempre cortada;

● Limpar terrenos baldios, pelo menos na faixa de um a dois metros junto ao muro ou cercas;

● Utilizar guias durante os passeios;

● Evitar o acesso dos animais domésticos a áreas de risco.

 
 
             

Rua Vergueiro, 1753/1759 - 4° e 5° andares -
Vila Mariana - São Paulo
Cep: 04101-000 - SP   [Mapa]

Fone: (11) 5908 4799 - Fax: (11) 5084 4907
Expediente: Segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 16h

   
 
Copyright 2006-2009 © CRMVSP. Todos os direitos reservados.