Sexta-Feira, 5 de março de 2021
10-02-2021
Altas temperaturas em fevereiro exigem cuidados extras com os pets

Médicos-veterinários dão dicas para manter os animais seguros e saudáveis no calor no verão

O mês de janeiro ficou para trás, mas o verão continua em fevereiro e a previsão é de muito calor, com temperaturas médias na casa dos 24 graus e máximas chegando a 28 graus em determinados momentos do dia no estado de São Paulo. Por isso, é importante manter cuidados especiais para garantir a saúde e o bem-estar dos pets.

Os maiores perigos para os animais domésticos durante esta estação são: queimadura dos coxins (almofadinhas das patas), desidratação, viroses, leptospirose, alergias sazonais, parasitas e hipertermia. Para evitar que os pets adoeçam e permitir que eles aproveitem da melhor maneira possível o verão, é importante seguir as recomendações dos médicos-veterinários e adotar algumas medidas simples de prevenção.

Ainda que os passeios pareçam ser sempre uma boa pedida nos dias de sol, as altas temperaturas podem ser prejudiciais para os animais, conforme alerta a médica-veterinária Maria Cristina Timponi, presidente da Comissão Técnica de Entidades Regionais Veterinárias do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP).

“Os passeios que nós fazemos com os pets no verão devem acontecer bem cedinho, quando o sol está mais fraco, ou à noitinha, quando ele está se pondo, evitando, assim, uma hipertermia - quando a temperatura fica mais alta que o normal, o que pode provocar, inclusive, a morte do animal”, afirma a médica-veterinária.

Tosas e preventivos

Maria Cristina lembra que os animais que têm pelos longos podem sentir ainda mais calor, por isso os pelos podem ser mantidos mais curtos no verão por meio das tosas. “Isso só não deve ser feito nas raças que têm subpelo, caso do Malamute, Husky Siberiano, Chow-chow, Akita e Spitz. A pelagem desses animais funciona como um isolante térmico, além disso, a tosa pode mudar completamente a textura do pelo”, explica.

Além do calor, as idas a parques e praças também podem significar contato com doenças e parasitas, como pulgas e carrapatos. Segundo o médico-veterinário Marcio Thomazo Mota, presidente da Comissão Técnica de Clínicos de Pequenos Animais, antes dos passeios é importante certificar-se de que os cães estão com as vacinas e o tratamento preventivo em dia.

Hidratação e proteção

A médica-veterinária Maria Cristina Timponi destaca também a importância de manter os animais hidratados nessa estação. “A água deve ser fornecida à vontade, pois ajuda muito na diminuição da temperatura corporal.”

Maria Cristina também chama a atenção para o uso de protetor solar, especialmente em pets de cor clara. “O protetor pode ser indicado tanto para os gatos quanto para cães das raças Boxer, Bull Terrier, Pitbull e outros animais brancos que tenham pelos curtos e estejam mais expostos aos raios solares, já que eles correm um risco maior de desenvolver câncer de pele”, diz.

 
 
             

Rua Vergueiro, 1753/1759 - 4° e 5° andares -
Vila Mariana - São Paulo
Cep: 04101-000 - SP   [Mapa]

Fone: (11) 5908 4799 - Fax: (11) 5084 4907
Expediente: Segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 16h

   
 
Copyright 2006-2009 © CRMVSP. Todos os direitos reservados.